TERAPIAS


INTRODUÇÃO

O autismo é um disturbio , cuja causa , tratamento ou cura são desconhecidos . Existe um consenso entre as diversas linhas científicas ( seja ela psicológica , fisioterapéutica , psiquiátrica , farmacológica , etc...) , que apesar de desconhecida , existe uma causa orgânica para o autismo e que esta não é responsável por todos os aspéctos ou sintomas do mesmo . Assim , quando ouvimos dizer : "quanto antes se iniciar o tratamento do autismo melhor serão os resultados ", na verdade , está sendo dito que apesar de não haver atualmente tratamento e/ou cura para o autismo , muitos de seus sintomas podem ser tratados . Esses sintomas (e causa(s?)) interagindo entre si , constituem o complexo sintomático e invasivo chamado autismo , ou sindrome de autismo .

"É bom começar esta discussão enfatizando que não existe um tratamento específico . Existem muitas abordagens individualizadas para o autismo , dependendo do autor , escola ou grupo de cada um . Os resultados variam , mas , em última análise , nenhum deles sobreviveu ao implacável teste do tempo . Basicamente diferentes foram o empenho e o entusiasmo por este ou aquele método , levando a resultados conflitantes e a não supremacia de uma abordagem terapêutica sobre outra ( Autismo e Outros Atrasos do Desenvolvimento - Christian Gauderer) ."

Não existe um tratamento padrão universalmente aceito para o autismo , cada método tem seus críticos . Estes métodos de tratamento se agrupam em categorias ou grupos generalizados :

Comunicação Facilitada
Curriculum Funcional Natural
Educação Física
Equoterapia
Escola Convencional
Estimulação Tátil - Produção da Ocitocina
Fisioterapia
Fonoaudiologia
Holding Terapy ou Terapia do Abraço
Ludoterapia
Método ABA - Applied Behavior Analysis
Método Lovas
Método Teacch
Método Tomatis
Musicoterapia
Método Doman
Natação
PECS - Picture Exchange Communication System e PCS - Picture Communication Symbols
Softwares Educativos
Vitamina B15 (DMG , B6 e Magnésio

Contato, críticas e sugestões

Retornar


Esta página foi construída em 02/03/2002, última atualização 19/06/2003


Créditos: Eduardo Henrique Corrêa da Silva