AUTISMO
DISCUSSÕES E COMENTÁRIOS
Inicio | Temas

Autismo sob otica espirita


Data: 29/9/2005 comentário 1/40

ARTIGOS e PALESTRAS SINDROME DE DOWN e AUTISMO (Aspectos Cármicos,Espirituais e Reencarnatórios)WWW.GEOCITIES.COM/VIENNA/STRASSE/5774/SINDROME.HTM?200529 FILHOS ESPECIAIS.EVANGELIZANDO ESPECIAIS.OBJETIVO DA ENCARNAÇAO. WWW.IRC-ESPIRITISMO.ORG.BR WWW.CELD.ORG.BR WWW.ESPIRITO.ORG.BR/PORTAL/PALESTRAS/IRC-ESPIRITISMO/PALESTRAS-VIRTUAIS/PV2170300 WWW.ESPIRITO.ORG.BR/PORTAL/PALESTRAS/IRC-ESPIRITISMO/PALESTRAS-VIRTUAIS/INDEX-TITULO.HTML FILHOS COM DEFICIÊNCIA WWW.MOMENTO.COM.BR/IMPRIMIR.PHP?ID=252 SERVIÇO INEGOISTA. WWW.AJORNADA.HPG.IG.COM.BR/MATERIAS/DIVERSOS/AUTISMO.HTM OS DEFICIÊNTES NA FAMÍLIA E NA SOCIEDADE ESPIRITA. WWW.ESPIRITO.ORG.BR/PORTAL/ARTIGOS/MUNDO-ESPIRITA/OS-DEFICIENTES-NA-FAMILIA.HTML


Data: 16/10/2005 comentário 2/40

Pesquise exaustivamente em WWW.GOOGLE.COM.BR 'AUTISMO REENCARNAÇÃO ESPECIAL".


Data: 4/12/2005 comentário 3/40

Pesquise em WWW.GOOGLE.COM.BR Abrir Home Page 'ARREPENDIMENTO EXPIAÇAO REPARAÇAO' e também 'CARTA DE GRATIDAO'.


Data: 23/1/2006 comentário 4/40

Toda vez que há o nascimento de um filho deficiente,há, evidentemente;um relacionamento entre os genitores e o espírito que se está reencarnando.Muitas vezes,esse filho-problema é a luz que vai clarear os horizontes profundos das almas aturdidas. O ser que chega desventurado, essas aves fanadas(murchas,secas)que tiveram as suas asas partidas e procuram em nosso carinho encontrar o refúgio;são elas as nossas asas para a elevação. Sucede que há o inter-relacionamento espiritual de outras vidas entre aqueles que trazemos hoje uma compreenção saudável e recebemos filhos deficientes para o nosso processo de reabilitação.Quase sempre,esses que nos chegam feridos em profundidade, são antigos equivocados que se atiraram aos abismos do suicídio. Perguntar-se-á "E, porque os pais devem sofrer com eles?. Alguns que têm problemas neurológicos profundos, que têm distonias psiquiátricas que lhes anulam a capacidade de discernir, os portadores de "Síndrome de Down" e de outras degenerescências. Por que os pais devem sofrer?. Naturalmente,muitas das injunções dolorosas da vida não resultam apenas daquele que se permite a delinqüência. Há,invariavelmente, outrém que contribui de uma maneira intelectual para o fato. Quantos de nós temos sido voluntariamente,ou não, responsáveis,diretos ou indiretos,por determinados insucessos. Quantas vezes, pela nossa obstinação,impedimos determinada realização que o outro,que dependia de nós, não tendo resistências morais, enlouqueceu e atirou-se nos desfiladeiros da amargura, do suicídio, da agressividade injustificada do crime. Somos responsáveis indiretos e porquê temos a consciência de culpa, resolvemos recebê-los nos braços para lhes oferecer o amor que nos faltou dar,para completar a ternura que nós não soubemos distribuir e abrir-lhes os braços à oportunidade da evolução. Todo filho macerado que chega ao nosso carinho é dádiva de Deus.Saber receber o ser amargurado,ceifado e dar-lhe a oportunidade de viver constitui-nos na atual reencarnação uma das maiores bênçãos, porque o próprio Jesus houvera dito que melhor seria amputássemos o dedo portador de delíquio(desfalecimento), de crime, de delinqüência, de escândalo do que termo-los e entramos na vida e,mais tarde, amputá-lo pela lei da reencarnação. Texto "REFLEXÕES COM DIVALDO".Extraido do Grupo PAS-PAZ & AMOR & FRATERNIDADE. Ivan Gabriel


Data: 28/1/2006 comentário 5/40

4.Um caso de AUTISMO e os benefícios da fluidoterapia- Os rítmos da dança e da música, das palmas e das vozes pareciam penetrar, a pouco e pouco, no íntimo do autista, como se arrancasse de esconso abismo interior algum débil lampejo de consciência, graças a ligeiro brilho que lhe assomou aos olhos e à mudança de respiração, agora noutra cadência, como se buscasse mais oxigênio do ar, associados a movimentos desordenados de braços e tronco. "Isto mesmo!",exclmou a Mentora vigilante, que o estimulava."Retorne, tome conta da consciência. Saia desse mundo sombrio e mentiroso. Volte à nossa realidade. Não fuja mais. Você já foi reencontrado. Não tema, pois ninguém lhe fará qualquer mal; nós não o deixaremos. Desperte!" Os apelos prosseguiram, mas o doente voltou a mergulhar no estado anterior. Não vendo Espírito algum junto ao enfermo, Miranda não entendia o que se passava. Estaria a alma do doente aprisionada em algum reduto,embora estivesse encarnada? Dr. Bezerra acudiu:"Vamos por etapa". "O nosso amigo é o típico autista, conforme a clássica denominação psiquiátrica. Apesar de serem comuns as cobranças obsessivas,paralelamente às enfermidades mentais, este paciente sofre-as menos, porque vem recebendo a ajuda desta Casa, há mais de seis meses. Aparentemente, não se registrou qualquer mudança no seu quadro geral. Todavia, sob nossa observação, descobrimos que excelentes resultados já foram logrados, antecipando futuros benefícios espirituais para ele próprio. Os inimigos que lhe adicionavam sofrimento, e ainda não o liberaram da cobrança que se permitem, encontram, graças à assistência espiritual que lhe tem sido dispensada, dificuldade de sintonia, embora permaneçam as irradiações das ondas mentais inferiores pelas quais se manifesta a sincronização Espírito a Espírito. É que a cobertura fluídica e magnética que o envolve dificulta a vibração doentia que ele emite, não se imantando às emissões morbíficas que lhe são dirigidas."Dr. Bezerra informou que a princípio suas defesas eram breves e foram logo destruídas pela consciência culpada e a insistência dos perseguidores. "Com o tempo tem havido assimilação vibratória dessas energias benéficas, por mimetismo natural, e os interregnos, sem a intoxicação telepática dos adversários desencarnados, vêm proporcionando-lhe a revitalização mental, destruindo as paredes do mundo íntimo para onde, apavorado, fugiu, desde quando a reencarnação o trouxe à infância carnal." Tecnicamente via-se ali um caso de auto-obsessão, por abondono consciente da vida e dos interesses objetivos. Quando o indivíduo mantém intensa vida mental em ações criminosas, que oculta, mascarando-se para o cotidiano, a duplicidade de comportamento constitui-lhe cruel transtorno que ele carpe em silêncio. O delito fica ignorado dos outros, mas não do delinqüente, que o vitaliza com permanentes construções psíquicas, nas quais mais o oculta, destruindo a polivalência das idéias, que terminam por sintetizar-se numa fixação mórbida. (Loucura e Obsessão,cap. 7, pp.83 e 84.) Texto extraido do Grupo de estudo das obras de ANDRÉ LUIZ e MANOEL PHILOMENO DE MIRANDA do CENTRO ESPÍRITA NOSSO LAR. Ivan Gabriel.


Data: 1/2/2006 comentário 6/40

5.NINGUÉM PERMANECE INDEFINIDAMENTE NO MAL.-Prosseguindo os esclarecimentos, Dr.Bezerra disse que esses gravames, que o eu consciente sepulta na memória profunda, passam desconhecidos pelo mundo,sem se aniquilar, permanecendo ali em gérmem que irradia ondas destruidoras, envolvendo o criminoso. Às vezes, irrompem como estados depressivos graves, noutras, surgem como "complexos de culpa",com fundamento real para eles mesmos, que se tornam desconfiados, crendo-se perseguidos e fazendo quadros de torpes alienações, caindo nas malhas da loucura ou no abismo do suicídio, artifícios que buscam para aniquilar os dramas tormentosos que os esfacelam interiormente. As cenas hediondas que fixaram,retornam implacáveis, cada vez mais nítidas, sem que quaisquer novas paisagens se lhes sobreponham. "Não é raro ver-se--aduziu o Mentor--dama recatada,ou cidadão ilustre, repentinamente enveredar por um desses trágicos comportamentos, a todos causando admiração, em face da aparente falta de motivos. Quando estes não se encontram na existência atual, ei-los nos subterrâneos da mente, no inconsciente, nos arquivos perispirituais, reclamando por justiça, reparação. Não há quem logre dilapidar o patrimônio da ordem e do bem, sem incidir na compulsória da reabilitação, que sempre se apresenta no curso da evolução do ser, reajustando-o e ensinando-lhe o respeito e o amor à vida. Ninguém, portanto,permanece indefinidamente no mal, em razão dos automatismos que a Lei impõe, proporcionando mecanismos de recuperação." Dr.Bezerra acrescentou que o importante, em tal conjuntura, não é o conhecimento que a sociedade tenha das ações nefastas ou nobres por alguém praticadas, mas o autor conhecêlas, sem poder apagá-las. No lado positivo, o mecanismo é idêntico: é indiferente que se recebam louvaminhas e tributos de gratidão pelo bem recebido. "A quem o bem realiza, é secundário ser conhecido pelo feito, embora muita gente assim o deseje, rebelando-se quando a bajulação e o reconhecimento não lhe vêm trazer as oferendas de homenagem", acentuou Dr.Bezerra. Na seqüência, contemplando comternura e piedade o enfermo autista, o Mentor aduziu: "A queda no despenhadeiro do crime ou do vício dá-se de um salto ou por meio de sucessivos passos; todavia, a ascensão é sempre muito penosa e a esforço contínuado, qual ocorre na terapia das doenças de grave porte, exigindo esforço incessante e medicação cuidadosa. As exulcerações da alma são de gênese profunda, em conseqüência, doridas, no seu processo de cicatrização". (Loucura e Obsessão, cap. 7, pp. 85 e 86) Texto extraído do Grupo de estudo das obras de ANDRÉ LUIZ e MANOEL PHILOMENO DE MIRANDA do CENTRO ESPÍRITA NOSSO LAR.


Data: 1/2/2006 comentário 7/40

6.O CASO ADERSON.- Referindo-se ainda ao rapaz autista, Dr. Bezerra informou: "Ocaro irmão Aderson, que aí vemos, dedicou-se, na sua reencarnação passada, a urdir planos escabrosos e de efeitos nefastos contra diversas pessoas a quem levou à desdita. De início, desforçava-se daqueles com quem antipatizava, endereçando-lhes cartas anônimas, recheadas de acusações vis, e, exorbitando na calúnia, espalhava a perfídia que sempre encontrava aceitação nos indivíduos venais, gerando insegurança e dissabor às suas vítimas. Dentre outras, o infeliz, picado pelo veneno da inveja, passou a pertubar o lar honrado de um amigo, endereçando,ora ao esposo, e, noutras vezes, à senhora, cartas repletas de misérias, nas quais a infâmia passou a triturá-los, entre suspeitas infundadas, terminando por levar o marido honesto ao suicídio,envergonhadopelo comportamento da esposa, tachada de adúltera,enquanto aquela acreditava, pelas missivas recebidas, na desonra do consorte. Quando o suicídio o infelicitou, ela acreditou que fora pelo remorso e caiu em irreversível depressão, aumentando o sofrimento da família. O ardiloso caluniador, entretanto, jamais se deixou trair, permanecendo amigo do lar durante todos os transes por ele mesmo produzidos e fazendo-se confidente fiel das ocorrências desditosas... Não ficou, porém, somente nisso. Apaixonando-se por uma jovem que não ocultava a antipatia em relação a sua pessoa, endereçou cartas infames ao homem que propôs casamento à mesma, lançando a lama da suspeita contra a honorabilidade e a compostura da criatura desejada. Desgostoso, o noivo, inseguro e orgulhoso, desfez o compromisso, e, porque instado a apresentar razões que justificassem a atitude, entregou-lhes as cartas, que diziam proceder de um ex-namorado predisposto a fazer revelações para poupá-lo às decepções que, segundo afirmava, sofreu, enquanto se relacionava com ela... Ante o choque, e sem recursos para provar a inocência, a vítima refugiou-se no quarto, de onde se recusava a sair, até que a morte a libertou, após negar-se à alimentação,à vida, em terrível transe de ensimesmamento e amargura... É necessário dizer-se que a inocência não se prova, antes, a culpa é que pode ser comprovada, em face dos testemunhos e do material que a evidenciam e confirmam". O Mentor acrescentou que ninguém jamais soube da autoria das cartas, exeto Aderson,que gozava o praser funesto de suas ações hediondas e era, na aparência, um cavalheiro nobre e distinto,celibatário que vivia de recursos herdados.Mais idoso, prosseguiu Dr.Bezerra, quando o tempo escoava rápido, ao invés de corrigir-se, mais se permitiu o nefário jogo das missivas caluniosas, levando dor e desconfôrto a pessoas e lares que atingia, sem a mínima consideração pelo próximo, com quem sequer mantinha qualquer relacionamento, até que um ataque de apoplexia recambiou-o à Vida Maior, onde despertou sob a vista daqueles que o aguardavam ferozes, exibindo as feridas do desespero que ele lhes provocara. O suicida, a esposa dele e a jovem desvairada passaram a supliciá-lo com a mesma impiedade que dele receberam. Surpreso, negou os fatos escabrosos e, mesmo sob a implacável cobrança da loucura, bloqueou a mente, em tentativa inútil de fugir ao ressarcimento inditoso imposto pela ignorância dos seus inimigos.(Loucura e Obsessão, cap 7, pp 86 a 88.) Texto extraído do Grupo de estudo das obras de ANDRÉ LUIZ e MANOEL PHILOMENO DE MIRANDA do CENTRO ESPÍRITA NOSSO LAR.


Data: 2/2/2006 comentário 8/40

7.EXPIAR O MAL QUE SE FEZ E DEPOIS REPARÁ-LO É O IMPOSITIVO DA LEI.- Transcorridos muitos anos de infortúnio, Aderson reencarnou com todas as marcas do horror que lhe foi infligido. Refugiando-se na negação do fato como crime, porque acreditava no direito de havê-lo feito e não se arrependia honestamente, imprimiu no corpo físico os limites do movimento e produziu a prisão na qual se encastelava.Assomando à consciência as lembranças do passado, vivia, nesse mundo, sob a injunção da culpa que o vergastava, procurando esconder-se e apagar-se, de modo a não ser reconduzido aos lugares de horror de de onde foi arrancado pelo Amor,que lhe favorecia a reparação noutras circunstâncias. Expiar o mal que se fez para logo depois repará-lo, é o impositivo da Justiça Divina, explicou Dr. Bezerra. Larga, como efeito, é a expiação. Se Aderson se recuperasse, surgir-lhe-ia a oportunidade da reparação, edificando a felicidade pessoal nos alicerces do que poderia propiciar às suas vítimas mergulhadas ainda no sofrimento. "A consciência de culpa sòmente desaparece -- asseverou o Mentor -- quando o delinqüente liberta aqueles que lhe sofreram o mal." Existem muitos Espíritos que buscaram na alienação mental, através do AUTISMO, fugir às suas vítimas e apagar as lembranças que os acicatam, produzindo um mundo interior agitado ante uma exteriorização apática, quase sem vida. O modelador biológico imprime, automaticamente, nas delicadas engrenagens do cérebro e do sistema nervoso, os fatores de que necessita para progredir: asas para a liberdade ou presídio para a reeducação. Após essas informações, Dr. Bezerra observou ainda: "Como se vê, a obsessão não é, neste caso, fator responsável pela loucura. A autopunição gerou o quadro de resgate para o infrator da Lei. Aqueles inimigos desencarnados que se lhe acercam, pioram-lhe a expiação, mas é o Espírito calceta quem se impõe os sofrimentos que sabe lhe serão benéficos para a redenção". "Entre os autos-obsidiados encontramos também os narcisistas, que abrem as portas da mente a parasitoses espirituais muito sérias, como decorrência da conduta passada. Outros mais, indivíduos culpados, são promotores das psicogêneses que irão propelir a organização física a produzir a casa mental mais conforme às suas necessidades expiatórias." Ciente de tudo isso, Miranda indagou sobre as possibilidades de cura do rapaz, ao que Dr. Bezerra respondeu: "Os desígnos de Deus são inescrutáveis. Caso não recupere todas as funçoes, para a atual existência, melhorará as condições para os próximos cometimentos". "Devemos examinar a Vida sob o ponto de vista global e não angular, de uma única esperiência física, como a atual." O Mentor lembrou que é preciso considerar o presente como uma ponte entre o passado e o futuro e não a situação única a vivenciar. "Destas atitudes resulta o povir com todas as suas implicações", asseverou Dr. Bezerra. "Assim, lancemos para amanhã os resultados do esforço de agora." (Loucura e Obsessão, cap 7, pp 89 e 90) Texto extraído do Grupo de estudo das obras de ANDRÉ LUIZ e MANOEL PHILOMENO DE MIRANDA do CENTRO ESPÍRITA NOSSO LAR.


Data: 5/2/2006 comentário 9/40

8.OS LIMITES DA TERAPIA DE VIDAS PASSADAS.- Após inteirar-se por completo do caso Aderson, Miranda perguntou a Dr. Bezerra se não seria o caso de aplicar-se no enfermo a terapia da regressão de memória, liberando-o da culpa,isto é, demostrando-lhe que as ocorrências já eram passadas e delas ele se devia libertar, apagando-as, para dar ensejo a novas conquistas. O Médico dos Pobres respodeu: "A terapia de vidas passadas é conquista muito importante, recentemente lograda pelos nobres estudiosos das ciências da alma. Como ocorre com qualquer terapêutica, tem os seus limites bem identificados, não sendo uma panacéia capaz de produzir milagres. Em grande número de casos, os seus resultados são excelentes, principalmente pela contribuição que oferece, na área das pesquisas sobre a reencarnação, entre os cientistas. Libera o paciente de muitos traumas e conflitos, propiciando a reconquista do equilíbrio psicológico, para a regularização dos erros pretéritos, sob outras condições. Mesmo aí, são exigidos muitos cuidados dos terapeutas, bem como conhecimento das leis do reencarnacionismo e da obsessão, a fim de ser levado a bom termo o tratamento, nesse campo. Outrossim, nesta, mais do que em outras terapias, a conduta moral do agente deve ser superior, de tal forma que não venha a enredar com os consócios espirituais do seu paciente, ou que não perca uma pugna, num enfrentamento com os mesmos, que facilmente se interpõem no campo das evocações trazidas à baila...Ainda devemos considerar que cristalizações de longo período, no inconsciente, não podem ser arrancadas com algumas palavras e induções psicológicas de breve duração. Neste setor, além dos muitos cuidados exigíveis, o tempo é fator de alto significado, para os resultados salutares que se desejam alcançar". Na seqüência, Dr. Bezerra esclareceu que, considerando-se a intensidade da alienação de Aderson, nada seria conseguido com a terapia de vidas passadas, em face da sua total ausência de respostas aos estímulos externos. E se fosse possível fazê-lo, numa fase menos grave, o seu reencontro com toda gama de fatos danosos praticados no pretérito produzir-lhe-ia tal horror, que a demência o assaltaria da mesma forma. Desejando esquecer, o rapaz não dispunha de forças para enfrentar-se e superar os prejuízos ocasionados às suas vítimas. Assim, o recurso que se lhe aplicava naquela Casa, embora existissem outros, faria com que, pouco a pouco, Aderson retornasse à lucidez e talvez ao interesse pela vida. Segundo Dr. Bezerra, um recurso terapêutico com eficiência imediata somente resultaria positivo num paciente cujo mérito lhe facultasse a recuperação, porque os fatores geradores da enfermidade, na condição de regularizadores das dívidas, não podem ficar esquecidos. "Isto ocorre em todos os campos da vida -- asseverou o Mentor --, exceto quando a misericórdia de acréscimo funciona,liberando o ser de uma forma de provação, para que outro recurso regenerador,pela ação do bem praticado, seja posto em campo." Dito isto, Aderson foi reconduzido ao lugar onde se encontrava anteriormente e a reunião encerrou-se, quando eram duas da manhã. (Loucura e Obsessão; cap. 7, pp. 90 a 92). Texto extraído do Grupo de estudo das obras de ANDRÉ LUIZ e MANOEL PHILOMENO DE MIRANDA do CENTRO ESPÍRITA NOSSO LAR.


Data: 5/2/2006 comentário 10/40

10. FAZER O BEM PESA MENOS DO QUE OS ATOS DANOSOS.- Dessa forma, o homem deve ter em mente que o máximo de sacrifícios em favor do próximo e de si mesmo é sempre menos dorido do que os atos danosos praticados contra alguém, mesmo que de pequena monta. A renúncia, a abnegação, o devotamento e a bondade em largos testemunhos de amor pesam menos na consciência humana do que alguns gramas de remorso. Era o que se via no drama de Aderson, que deveria investir, com esforço mental e sacrifício pessoal, os valores ao seu alcance, a fim de granjear mérito para a mudança do seu quadro provacional. Na Casa, os trabalhos prosseguiam normalmente e Miranda observou que, não obstante a densidade vibratória das energias, mais físicas que espirituais, em razão do número de Entidades em trânsito nas faixas mais grosseiras, não ocorriam ali interferência maléficas, por estar o trabalho sob rigoroso controle, resultado de larga experiência naquela área da equipe de cooperadores desencarnados, Espíritos conscientes, esclarecidos e dedicados ao bem. Findas as consultas, Emerenciana dirigiu-se ao círculo onde as pessoas se encontravam, para os atendimentos e instruções finais. Aderson, o autista, novamente foi colocado no centro, auxiliado por dois companheiros encarnados. O olhar parado, a face pálida, refletindo-lhe a desvitalização, sem nenhuma reação aparente, era o Espírito encarcerado no corpo silencioso, que a consciência culpada construíra para a reabilitação. Tomando-lhe as mãos e fitando-o nos olhos, a Benfeitora repetiu a terapia descrita anteriormente, convocando-o à realidade, pois não tinha mais o que temer. A fuga já terminara e fazia-se mister enfrentar os efeitos dos males causados. Na ordem que lhe dava, Emerenciana expressava confiança e infundia-lhe fé no futuro. A princípio, Aderson em nada reagiu. Em seguida, à instância do convite, pareceu despertar de um longo letargo, alterando o ritmo repiratório, movimentando as pálpebras e os lábios. Um fluxo sangüineo fê-lo, então, corar-se e já voltava ao estado anterior, quando a Diretora da Casa determinou:"Hoje é o nosso dia de despertamento, e você terá que reagir. Ouça-me, e não se esconda mais. Já lhe conhecemos a história. Recorde-se, enfrente-se, e viva! Aderson, viva! Ao ouvir a ordem dada pela Instrutora, Aderson tremeu, como se fora vítima de uma ligeira convulsão; depois, debateu-se com agitação e voltou ao topor habitual. (Loucura e Obsessão, cap18, pp.227 e 228.) Texto extraído do Grupo de estudo das obras de ANDRÉ LUIZ e MANOEL PHILOMENO DE MIRANDA do CENTRO ESPÍRITA NOSSO LAR.


Data: 6/2/2006 comentário 11/40

13. ADERSON DESABAFA AFINAL,M,AS SE DECLARA INOCENTE. - Irmã Emereciana aplicou-lhe passes de dispersão fluídica, desintoxicando-o, numa tentativa de arrancá-lo do estado de hibernação profunda, no qual se recolhera buscando esconder-se da própria consciência. "Este é o dia do seu reencontro", afirmou-lhe a Mentora. "Você tem compromisso com a vida e não poderá ficar, indefinidamente, detido na inconsciência. Todos conhecemos a sua história, que você se recusa a admitir. Você é suicida, que devia à existência física vários anos que não cumpriu. Você matou o corpo, mas não morreu..." As palavras finais ditas por Emerenciana foram repetidas: "Você matou o corpo, no entanto, continua vivendo. Recorde-se, Aderson... Suicida, você é suicida!" O choque produzido pela voz enérgica, numa indução poderosa, fez o Espírito agitar-se e, rompendo uma cadeia de forças que o imobilizavam, reagiu, possesso:"Não!... Não me matei!... Eu nem esperava... ou queria morrer... naquele dia... Não me matei!..." A Benfeitora, aliviada por haver arrancado o rapaz daquele mundo cruel de silêncio e mumificação, prosseguiu: " Matou, sim, o corpo, mediante os tóxicos que você ingeriu ao largo do tempo, como decorrência do seu egoísmo e dos monstros a que deu guarida em seu mundo mental. Fora outro o seu comportamento, e viveria mais um decênio no corpo físico. Que fez, porém? Agasalhou a inveja e a perversidade, distante dos sentimentos de humanidade, sem compaixão, nem amor. Viveu para si, acumulou mágoas e insensatez, enquanto a vida o invitava à fraternidade, ao serviço do bem". Aderson desabafou, em convulsão:" Ninguém me amou!" Emerenciana, porém, afirmou-lhe que ele assim dizia porque nunca tinha amado. Temia dar-se e invejava aqueles que se doavam uns aos outros", explicou a Benfeitora. "Não acreditava em pureza, pois que vivia em clima mental de perversão e promiscuidade, observando a conduta dos seus irmãos através das lentes distorcidas da sua enfermidade moral." Ato contínuo, a Diretora da Casa explicou que não dizia tais coisas em forma de acusação, mas, sim, para que ele enfrentasse os acontecimentos, a fim de deles se libertar, porque fugir de si mesmo ou anestesiar a consciência é experiência inútil, que ninguém consegue lograr. Aderson opuviu-a, mas insistiu em dizer-se inocente, o que o obrigou Emerenciana a lembrar-lhe os vários crimes que lhe pesavam na consciência, cobrando reparação. " As suas vítimas -- afirmou a Benfeitora -- sucumbiram, não somente na trama difamatória, mas no suicídio a que você levou mais de uma ... Portanto é homicida igualmente, não resolvendo o seu problema o auto-aprisionamento no corpo." Como Aderson insistisse em que suas vítimas não se mataram por sua causa, Emerenciana convidou-o a assistir a alguns lances de sua última existência corporal, selecionados para aquele momento. Em seguida, a um sinal da Diretora, a fita gravada foi posta no aparelho e as imagens passaram a refletir-se em uma tela de média proporção, com uma peculiaridade especial: a da terceira dimensão.(Loucura e Obsessão,cap. 18, pp. 233 a 235.) Texto extraído do Grupo de estudo das obras de ANDRÉ LUIZ e MANOEL PHILOMENO DE MIRANDA do CENTRO ESPÍRITA NOSSO LAR.


Data: 7/2/2006 comentário 12/40

14. A VISÃO DOS SEUS CRIMES FAZ ADERSON ADMITIR SUA CULPA.- Aderson se apresentava na chamada idade da razão, quando começou o expediente infeliz das cartas anônimas difamatórias e o hábito de levantar, verbalmente, suspeitas destrutivas contra quem lhe caía sob a alça-de-mira da inferioridade. Simultaneamente às imagens vivas, era possível captar os pensamentos de cada momento, antes e durante a ação nefasta, que se irradiava de mente maldosa. Era a primeira vez que Miranda assistia a uma experiência de avaliação do passado de alguém, através de um equipamento tão sensível. Ele conhecia já o cinemascópio, as ideoplastias vivas, os clichês mentais que ressumavam dos depósitos profundos do perispírito, as evocações por indução telepática, as espontâneas, menos aquela técnica fascinante, em que a vida retornava esfuziante e se podia penetrar no íntimo dos fatos, que eram o emocional e o mental de cada personagem apresentada. As cenas sucediam-se na tela em rítmo crescente, enquanto o enfermo balbuciava defesas injustificáveis, passando do desespero convulsivo à revouta e à blasfêmia, para ir-se aquietando, desperto, conscientizando-se da gravidade dos atos praticados. Foi o suicídio da jovem a quem difamara, mediante carta criminosa ao seu enamorado, que mais o afligiu. Aderson acompanhou-lhe a onda mental, as dores que precederam o autocídio, a sua infinita amargura, e, porque ela o sensibilizava afetivamente, ele rendeu-se, suplicando: "Parem com isso! Imterrompam a peça condenatória. Não podia imaginar, no começo, que tudo chegaria a este ponto... Quando me entreguei a esta loucura, eu era e sou ainda mais infeliz do que as minhas vítimas. Eu me encontrava louco, e não podia, não me queria deter. A volúpia dos desgraçados é sorver até a última gota a própria degradação. Oh! Deus meu!"Emerenciana ouviu-o com atençãi e, depois. lhe disse:"Agora que você sabe, reorganize-se interiormente e reprograme a sua atual existência. Você buscou o encarceramento orgânico para fugir sem resgatar... Use o expediente para beneficiar-se, começando a reparação das faltas cometidas. Até agora você expiou em trevas íntimas, o que não é suficiente para recompor-lhe a paz. Indispensável a ação que regulariza o erro e ajuda aos prejudicados, erguendo-os de acesso ao bem-estar pessoal. E se as vítimas, ao acaso, já se encontram em posição melhor do que a sua, é a hora de socorrer a outrem, não diretamente vinculado a você, todavia incurso em necessidades que poderão ser supridas". -- "Que pode um alienado fazer?", indagou Aderson. Dr. Bezerra aproximou-se, então, e com imensa bondade e sabedoria explicou que, após cuidadoso exame que fizera em seu cérebro físico, não encontrara lesões que o impediam de manter, a partir daquele momento, uma vida com relativa normalidade. "Os limites e bloqueios que você lhe impôs-- afirmou Dr. Bezerra --, são de ordem psíquica profunda, sem equivalentes danos nos equipamentos especiais que por ela respondem. Partindo para uma nova ação de pensamentos lúcidos do eu espiritual, com insistência, os neurocensores passarão a captá-los e, lentamente, irão transformando-os em idéias que fluirão, irrigando a mente consciente e estimulando-a às atividades que oferecem o retorno ao equilíbrio psicofísico." (Loucura e Obsessão, cap. 235 a 237)


Data: 8/2/2006 comentário 13/40

15. O PROCESSO DE REAJUSTAMENTO EMOCIONAL É LENTO.- O Médico dos Pobres explicou ao rapaz que, a princípio, ele teria apenas lampejos rápidos, seguidos, depois, de tênue claridade, até alcançar o possível que lhe fosse permitido, em razão de não serem muitos os seus títulos de merecimento. "Durante o sono fisiológico, porém -- afirmou-lhe Dr. Bezerra --, você receberá, no processo de desdobramento da personalidade, estímulos novos e constantes para mais perfeita fixação de propósitos. Ser-lhe-ão aplicados recursos especiais no perispírito, na àrea do centro cerebral, despertando-lhe as potencialidades ainda bloqueada, para que se destravem os controles da memória, da razão, prosseguindo, no centro motor, de modo a recoordenar os movimentos, reestruturando os equipamentos nervosos, que serão melhormente utilizados em favor da sua própria reabilitação. O estacionamento não resolve o problema, nem a fuga, estimulada pelo remorso, auxilia na solução das dívidas. Assim mesmo, não será de aguardar-se resultado miraculoso. O processo de reajustamento emocional é lento como qualquer outro tipo de reequilibrio." O Benfeitor explicou-lhe então que, à medida que sua consciência liberasse energias positivas, regular-se-iam os ritmos da onda mental responsável pela ação coordenada entre a afetividade e a segurança interior, canalizando as forças psíquicas para o restabelecimento relativo da saúde. "Da mesma forma que a culpa edificou a prisão sem grades do remorso em desconcerto -- acrescentou o Mentor --, o desejo de recuperação rompe as amarras que o retém no presídio celular. Como providência complementar de relevo,estas impressões permanecerão luarizando-o em nome da esperança, que consolidará o seu equilíbrio. Por fim, estas sessões regressivas serão repetidas algumas vezes, de forma que sejam aceitas as injunções do sofrimentos reparador mediante as quais se lhe desanuviará a razão ante os desígnios da Justiça." Dito isto, o Médico arrematou: "Do ponto de vista neurológico não detectamos qualquer lesão de conseqüência irreversível. As seqüelas serão mais de ordem psicológica, como efeito dos desmandos perpetrados, do que de outra natureza". Aderson, então, indagou: "E se eu falhar?" Dr. Bezerra respondeu: "Repetirá a experiência aflitiva, em condições menos favoráveis, já que não há exceção para ninguém, nos Estatutos Divinos. Pensar na possibilidade de fracasso é gerar insucesso por antecipação. O agricultor seleciona as sementes e as planta, confiando nos fatores climatéricos que lhe escapam, sem pensar em derrota... Assim também, na ensementação do bem, a todos nos cumpre desenvolver esforços máximos dentro do que nos é lícito fazer, porquanto o restante pertence a Deus". Lágrimas silenciosas perolaram os olhos do paciente, agora submisso e resignado, afirmando, sem palavras, os propósitos salutares da realização libertadora. Foram-lhe então aplicados novos recursos fluídicos e ele adormeceu, sendo reconduzido, em seguida, ao seu lar.(Loucura e Obsessão, cap. 18, pp. 237 e 238.) Texto estraído do Grupo de estudo das obras de ANDRÉ LUIZ e MANOEL PHILOMENO DE MIRANDA do CENTRO ESPÍRITA NOSSO LAR.


Data: 10/2/2006 comentário 14/40

16. A REENCARNAÇÃO É A MAIS ABENÇOADA OPORTUNIDADE DE REDENÇÃO DA ALMA.- Minutos depois, logo que se apresentou oportunidade, Miranda indagou ao generoso Médico: "O que tivemos foi uma regressão de memória, embora a técnica se fizesse diferente. Anteriormente, o senhor afirmara da inutilidade ou perigo, caso lhe fosse aplicada esta terapia. Por quê?" Dr. Bezerra ripostou: "Referíamo-nos, então, à terapêutica de tal natureza, porém, sob indução de um encarnado. A dificuldade maior, de início, seria a autista não responder aos estímulos verbais do indutor. Além dessa, o desconhecimento da causa, por parte do mesmo, que o paciente se negava a admitir, não lograria arrebentar a parede invisível que o Espírito erguera, para esconder a culpa não aceita, embora existente no inconsciente profundo. Dissemos, também, que o excelente método de recente aplicação não produz resultados positivos, como é natural, em toda e qualquer psicopatologia: e, se tal ocorresse, estaríamos diante de um fenômeno violador do equilíbrio das Leis de Causa e Efeito. Os logros alcançados são muito valiosos, favorecendo a uma ampla faixa de alienados, como ocorre com o psicodrama e outras terapêuticas valiosas que proporcionam campo ao resgate dos erros sem o encarceramento do endividado." Lembrando que nas civilizações mais avançadas da Terra a preocupação com o delinqüênte é reeducá-lo, o Benfeitor aditou: "Entre nós, diante dos Soberanos Códigos, é mais importante reparar do que expungir em lágrimas, reedificar do que aprisionar nos estreitos limites da impiedade vingativa... O mais importante é destruir o mal, conquistando o homem que lhe sofrer a injunção. O amor de Deus se manifesta sempre em mil oportunidades de redenção e a reencarnação é, dentro de todas, a mais abençoada". "Convém recordar, porém -- arrematou Dr. Bezerra --, que, mesmo reencarnado, o Espírito renasce ou morre diversas vezes, durante o ciclo da vilegiatura carnal. Isto é, cada novo erro que comete torna-se-lhe uma forma de morte da oportunidade feliz, enquanto que toda conquista significa-lhe um novo renascimento para a verdade e para o bem." (Loucura e Obsessão, cap. 18, pp. 239 e 240.) Texto extraído do Grupo de estudo das obras de ANDRÉ LUIZ e MANOEL PHILOMENO DE MIRANDA do CENTRO ESPÍRITA NOSSO LAR.


Data: 11/2/2006 comentário 15/40

Indico a leitura integral desta maravilhosa obra "LOUCURA e OBSESSÃO", pelo Espírito MANOEL PHILOMENO DE MIRANDA, psicografia de DIVALDO PEREIRA FRANCO. Voce a encontrará em qualquer livraria espírita ou livrarias virtuais.


Data: 16/2/2006 comentário 16/40

Pesquise em WWW.GOOGLE.COM.BR - Abrir Home Page "CRIANÇA EXCEPCIONAL"


Pesquise também em WWW.GOOGLE.COM.BR - Abrir Home Page "AUTISMO ESPIRITUAL",em "TESES-SAÚDE PUBLICA",pesquise pacientemente todos capítulos e em especial o sub-capítulo 3.5 - " O APOIO SEGUNDO O ESPIRITISMO: EU POSSO PORQUE DEUS ESTÁ COMIGO."

Ivan Gabriel


Data: 22/4/2006 comentário 17/40

SÍNDROME DE ASPERGER - Uma Forma Raríssima de "AUTISMO INFANTIL".
O Materialismo tentando negar o retardo mental?


Artigo do Dr. ISO JORGE TEIXERA,no:


WWW.TERRAESPIRITUAL.LOCAWEB.COM.BR/ESPIRITISMO/ARTIGO2280.HTML


Data: 22/4/2006 comentário 18/40

TIRANDO DÚVIDAS 2

Respondendo sobre o AUTISMO, Amílcar Del Chiaro Filho apresenta preciosos esclarecimentos sobre esse mal que se agrava nos tempos modernos: "O autismo é uma anomalia mental que envolve muito mais do que a mente. Envolve sentimentos, especialmente de outras vidas.Todos os distúrbios de ordem profunda estão ligados a acontecimentos do passado. Acreditamos que não seja punição, mas, autoflagelação. É escolha do espírito fechar-se em um mundo restrito. O autismo talvez seja uma forte rebelião aos problemas, uma autodefesa do espírito imortal que se sentiu agredido e indefeso em algum momento. O autista fecha-se em seu mundo. Parece isolar-se de tudo e de todos, mas, com certeza, ele mantém uma fresta aberta, na esperança de que alguém a descubra e adentre o seu mundo e faça companhia a ele,ou dali o retire, amorosamente. Imagine esse globo como uma bola grande e lisa, na qual exista uma única e apertada entrada disfarçada na superfície. O desafio é encontrar essa fresta. Talvez só exista um meio de encontrá-la, o AMOR.Somente um amor grande como o mundo, um amor que nada exija, um amor que não questiona, um amor que se doa infinitamente poderá ganhar a confiança do autista e libertá-lo da autoprisão em que se fechou".

O segundo volume de "Tirando dúvidas" é uma publicação da Mundo Maior Editora, da Fundação Espírita André Luiz, que atende a pedidos na Rua Ezequiel Freire,736-Santana-CEP 02034-002-São Paulo,SP-telefone (11)6979-2157 e correio eletrônico feal@feal.com.br. Preço R$16,00.

Texto extrído do jornal "SEI" do LAR FABIANO DE CRISTO.


Data: 11/5/2006 comentário 19/40

MÉDIUNS E MEDIUNNIDADE

Por que foi dada a mim tamanha dor? É um tormento este intercâmbio. Isto me confunde, tira de minha vida o encanto, cria algemas, obrigações. E por nada... Pois tudo o que recebo são tristezas, desequilibrios, enfim... Desencantos... tão somente desencantos...
E assim, lamentando-se, segue alguém. Ouve-o um outro que foi apenas mais brando em suas lamúrias, talvez mais polido.
Este disse apenas isto, parafraseando o maior dos mestres:
Pai, por que foi dado a mim este cálice...por quê... por quê?"
Ah, infelizes e cegos!
Ambos têm nas mãos a sublime chance.
Este primeiro, o que falou muito, de tanto que se comprometeu com a lei, lesou o corpo espiritual de tal forma, que teria que passar vidas; entendam que eu disse vidas, em corpos limitados. Ora enfrentando a escuridão da cegueira,ora suportando a paraplegia,o AUTISMO,sem falar nos comprometimentos menores. Então, aterrorizado com o seu horizonte, implorou ele ao Pai:
Dai-me, dai-me outra chance! E a chance veio e tal homem nasceu médium.
O segundo foi um inquisidor. Este também implorou ao Pai e a ele foi dado o suave cálice da mediunidade. Mas já aqui, ele achou ser de fel este cálice. E o trocou, ainda que não o saiba, pela terrível doença que chamam de fogo selvagem.
Heis aqui apenas dois exemplos. E que não são raros a vocês todos que aí estão. Não há um que não seja médium e que, de alguma forma, tenha se comprometido com a lei. A grande maioria só veio com esta condição porque a dor lhes batia à porta. Cada um de vocês, um dia, comprometeu-se com o trabalho sublime, tão próprio dos discípulos mdo Mestre, em virtude de suas falhas.
Levem, naturalmente, a vida, pois vivem no mundo e nele há batalhas a enfrentar, compromissos a cumprir. Mas despertem, estudem, modifiquem-se!
O que pedimos a cada um é apenas uma pequena parcela do seu tempo para que possam principiar-se na caridade.
Hoje, cada um tem o que, um dia, pediu. Repito: só há percalços na mediunidade para aquele que assim o quer. O jugo é leve, então, que a boa-vontade e a perseverança os oriente.

Apenas um trabalhador do grupo de cá.

Texto extraído da Sociedade Espirita da Granja Viana.

Ivan Gabriel


Data: 9/6/2006 comentário 20/40

Olá a todos.
Tenho uma filha com Síndrome de Down e eu e minha mulher a adoramos. Gabriela tem 3 anos e se mostra muito inteligente e amorosa, se bem que às vezes fica um pouco brava. Também tem os traços bem delicados, com todos dizendo que ela é linda. Sei que cada caso é específico, mas, os Downs, geralmente vêm assim por qual motivo? Alguém poderia me explicar algo? Sou Paulo Bastos de BH, pauloaabastos@ig.com.br. Amplexos a todos e muito obrigado.


Data: 1/4/2007 comentário 21/40

Com certeza Paulo, nada é por acaso. Em toda criação Maravilhosa e explêndida de Deus nosso Pai, não existe o acaso. Colhemos o q plantamos. Pesquise, leia se informe e verá um mundo novo de descobertas e alento.Q a paz esteja com vocês!


Data: 25/4/2007 comentário 22/40

data:23deabrilde2007

Tenho uma linda menina,de 13 anos,que se chama Kenmelly.Por longo tempo,tudo que eu queria era que ela se curasse dessa síndrome autística,que a torna tão distante das pessoas.Era para mim,muito doloroso,ver que não havia nenhuma compreensão do outro ao se deparar com as dificuldades de minha filha.Mesmo entre tios,primos e avô,acontecia quase sempre, uma enorme falta de aceitação com as esquisitices e acontecimentos inadequados na rotina dessa criança, que só queria fazer parte de nossas vidas.Aos pouco,fui me sentindo mais flexível a nossa realidade, que nos impunha explicar e demonstrar como agir e reagir quanto às atitudes dela, principalmente em ambiente desconhecido ou pouco visitado.Com o passar do tempo, fui tomando consciência de que ninguém era obrigado a se relacionar bem com minha filha,sem estar preparado para alguém com nessecidades diferentes das normais. Precisei ir dando dicas de como ela funcionava. Encontrei quem se interessou em dar um mínimo de atenção, bem como, quem nada fará,nem agora ou nunca.São parentes apenas,aos quais a experiência de ter um caso de autismo na família, soa como pesar e nada mais. Interagem tão pouco com ela, que não notam que sabe ouvir e responder,mesmo que com frses sem pronomes e artigos.Hoje sei que o importante para mim, o papai e as irmãs,é que Kenmelly sabe dar carinho se recebe amor. Esse amor verdadeiro que muitos têm no coraçAo e sabem doar.


Data: 25/4/2007 comentário 23/40

Data:23 de abril de 2007.

Tenho plena convicção de que nada acontece por acaso.Nossas atitudes de ontem nos fazem o que somos e temos hoje.Incuindo aí nossos filhos, que nos foi dado para serem alicerse na evolução.Somos imanados pelas mesmas necessidades de correção e muito provavelmente porque cometemos os erros do passado juntos.
Agradeço à Deus, pela oportunidade de aprender o que não assimilei conforme sa leis divinas, em vidas passadas.Peço energia e paciência necessárias à minha empreitada, que reconheço ser difícil,mas não mais de que para tantas outras mães que recebem do ventre um filho especial,quando esperavam ver nascer uma criança perfeita, sadia, e pronta para trilhar caminhos de uma vida normal.
Sinto que estou tendo como companheiro de aprendizado, um ser querido e de extrema perseverança diante do desconhecido. Alguém que está sempre pronto a solucionar problemas, sem lamuriar ou mesmo titubear. Deve ter suas dívidas, mais certamente, junto a mim está porque é um forte e sabe dividir o amor que lhe engrandece o espírito.
Como acredito que não me seria dado fardo maior do que posso carregar,que Deus me abençoe e assim seja.


Data: 23/5/2007 comentário 24/40

Tenho um filho de 3 anos diagnosticado como pertencente ao espectro autístico. Fazemos um tratamento médico intenso e também um tratamento espiritual, com passes frequentes e operacoes espirituais. Juntamente com tratamentos, eu e minha esposa temos tentado aprender, tentado nos melhorar, tentado conseguir uma importante modificacao espiritual. Além disso, incorporamos ao nosso dia-a-dia as preces e oracoes, o pensamento positivo e a certeza da cura total, física e espiritual. Em relacao ao meu filhinho, ele já apresenta melhoras. A cura total ainda nao veio, mas com a graca de Deus, virá.

Que Deus abencoe a todos nós e a nossos filhos


Data: 10/6/2007 comentário 25/40

tenho um filho viciado em alcool e drogas,espero ter forças para vencer essa batalha com a graça de deus


Data: 17/8/2007 comentário 26/40

Ola

Sem querer encontrei um site onde o Chico Xavier fala sobre o autismo, ele diz que são espiritos que nao aceitam a encarnação,pois a encarnação e muito dolorosa pra eles, e aconselhou que devemos conversar muito com esse espirito, principalmente a mãe.

Um abraço a todos.


Data: 27/10/2007 comentário 27/40

Que site é esse que Chici Xavier fala sobre autismo? Alguém conhece?


Data: 26/1/2008 comentário 28/40

Tenho um filho de 2 anos e meio que foi diagnosticado dentro do espectro autístico. Desde o ventre eu "sabia" que ele seria um menino especial e diferente, só não sabia como. Quando ele chegou senti uma alegria intensa, sua presença sempre teve o dom de me acalmar e me fazer sentir segura (!?), e muitíssimo grata a Deus por te-lo trazido ao meu convívio, desfruto cada minuto que passamos juntos. Claro que temos muitas dificuldades para superar, nossa sociedade é (ainda) muito cruel com quem é diferente, mas me sinto confiante, tudo é exatamente como deve ser, porque tudo(no final)converge para o bem. "Deus sabe de todas as coisas..."


Data: 8/3/2008 comentário 29/40

Amigos
Adorei tudo o que li e preciso muito saber mais sobre autismo para poder ajudar meus alunos. Que Deus os abeçoe, amigos da Terra e dos Céus.


Data: 18/3/2008 comentário 30/40

WWW.RADIOBOANOVA.COM.BR/OFFLINE.PHP?PAGINA=38PROG=161 TEMA:AUTISMO-UMA LEITURA ESPIRITUAL Dr.CAMILLA CASALLETTI BRAGHETTA


Data: 22/3/2008 comentário 31/40

o tempo de deus e para aquele que crer.ele diz que aquele que crer veras a gloria de deus.eu tenho uma filha autista de 6 anos e creio no sobre natural de deus.beijos adenilce


Data: 14/4/2008 comentário 32/40

Pesquise no Google : "AUTISMO AUTISTA CASA ESPIRITA" .Faça


Data: 30/4/2008 comentário 33/40

Hoje 29/abril/2008 no programa da OPRAH canal 41 da NET
às 20 horas passou a entrevista de 2 mães (americanas muito famosas) de crianças autistas.
Muito interessante!! Se repetir vale a pena vocês verem.
Elas dizem que o que deve fazer é não desistir nunca !!
Jamais !!!
Coragem e fé no Pai Maior !!


Data: 9/5/2008 comentário 34/40

pécimo


Data: 23/10/2008 comentário 35/40

Eu sonhei por anos com o meu filho, no momento em que seria mae, quando o meu filho nasceu era lindo, nota 9 de nascimento grande e gordinho, nao notei nenhuma anormalidade no meu filho, apenas quando percebi que ele nao engatinhava mais que talvez fosse demorar um pouco pois cada criança é diferente da outra. No meu intimo eu sabia que tinha algo de estranho com meu filho, mais nao queria admitir para mim mesma que aquela criança que fiz tantos planos nao era normal
hoje meu filho esta com 6 anos nao foi diagnosticado por nenhum medico como autista ou semelhante a isto, mais ele nao fala, nao é mudo, nao tem a maldade de perigo real hora eu o aceito com suas limitacoes hora eu nao admito que Deus fez isto comigo, mais o amo muito... hoje nao saberia viver se ele nao existisse na minha vida. mais o que mais doi sao os preconceitos que se sofrem.


Data: 12/6/2009 comentário 36/40

o mundo não esta preparado para eles .
O preconceito é muito grande .
começa dentro da própria familia ,voce não encontra um médico com boa vontade para atende-lo porque no meu caso meu filho tem 21anos e não entra em lugar nenhum.eles se esquecem que mesmo sendo altista ele tem dor de ouvido dente garganta enfim todas as dores que temos .
eles deveriam ser preparados na faculdade a saber lidar com esta situação.
estou passando por uma situação muito dificil por causa disto .


Data: 29/8/2011 comentário 37/40

Tenho um filho autista, sempre o aceitei como ele é nunca me perguntei pra Deus por que aconteceu isso conosco, graças á Deus não me revoltei pois isso torna tudo mais doloroso.
Ele faz todos os tratamentos que está ao nosso alcance, ele teve e tem uma melhora significativa porém leva tempo com 3 anos ele não falava nada, aos quatro com tratamento fonoaudiologico começou ter pequenas melhoras mas que hoje está com 8 anos e essas pequenas melhoras se tornaram grandes pois ele consegue se comunicar, se veste sozinho, como sozinho, sai com outras pessoas sem precisar de minha presença, tem amigos, se adapta facilmente a novas situações ( nós já moramos em tres estados diferentes em busca de melhores tratamentos) sempre viajo com ele para que se acostume com novas situações.
Não é fácil ter um filho com necessidades especiais, mas com amor, dedicação e não podemos esquecer de dar limites á eles pois é tão importante quanto dar amor, e muita fé em Deus de que há um planejamento e que se fizermos a nossa parte como mães e pais no final tudo ficará bem.
É UMA OPORTUNIDADE ÚNICA DE APRENDERMOS COM ESSA ESPERIÊNCIA PARA NOSSA EVOLUÇÃO E DO AUTISTA QUE ESTÁ CONOSCO NESSA JORNADA.
QUANDO SE ENCONTRAR CANSADA, SEM FORÇAS, INCAPAZ DE CONTINUAR ORE Á DEUS QUE ELE LHE DARA AS FORÇAS NECESSARIAS PARA CONTINUAR SUA LUTA, QUE TEM SACRIFÍCIOS MAS TAMBÉM TEM MUITO AMOR, AMOR POR ESSA PESSOA INDEFESA, NECESSITADA DE PROTEÇÃO.
FIQUEM COM DEUS.


Data: 28/2/2012 comentário 38/40

tenho um neto autista,sinto por ele uma enorme afeicao.ele foi rejeitado pelos pais ,principalmente pela mae que o abandonou.cuidei dele com carinho eajudei meu filho a aceitalo .me comovo quando pai o abraça ,acriança fica tao feliz,e tem melhorado muito,por essa atitude de meu filho.me comprometi a ajuda-lo a cuidar deste pequenino.para tanto estou aqui me dedicando aesta tarefa aqual adoro .tenho buscado soluçoes ,na educaçao,na alimentaçao,e no amor que tenho dedicado.meu neto era muito agressivo,parescia nao enteder nada,se auto agredia muito nao falava nao tinha habitos de higiene .....hoje esta muito melhor graças a Deus.aceita oraçao ,fala algumas palavras ,interaje.gostaria depoder ajudalo ainda mais pois sinto me compelida a isto.obrigada


Data: 26/6/2012 comentário 39/40

Foi muito importante saber mais sobre o Autismo e a relação da doença com a espiritualidade. Sou irmã de um autista de 32 anos e já faz 10 anos que ele não vive mais conosco, passa 3 meses em uma clínica e 1 mês com meus pais. Meus pais, quando ele era pequeno, tentaram de tudo, mas atualmente estão acomodados e já não buscam nenhuma alternativa de tratamento. Além de amor e carinho, o que mais posso fazer pelo meu irmão, para ajudá-lo no desenvolvimento espiritual para se libertar de suas culpas? O que devo pedir em minhas preces? para quem direcioná-las, para ele ou para aqueles que ele prejudicou? Mesmo à distância, a prece surte efeitos? Por favor, me orientem!


Data: 26/1/2014 comentário 40/40

SEMPRE ACHEI ESTRANHO ESTÁ PATOLOGIA CHAMADA AUTISMO. E MUITO MAIS, COMO OS PAIS DEVEM CONDUZIR SEU FILHO (A). COMO PROCURAR AJUDA E VIVENCIAR O DIA-A-DIA. HOJE EM DIA COM A TECNOLOGIA, FICOU MUITO MAIS FÁCIL AS PESSOAS PROCURAR INFORMAÇÕES SOBRE O ASSUNTO E HOJE AO FAZER A BUSCA PUDE COMPREENDER O PORQUE OS ESPÍRITOS REECARNAM C ESTA MODALIDADE DE DEFICIÊNCIA PSIQUÍCA. PERCEBI O QUANTO É DIFÍCIL ACEITAR E ENTENDER. MAS GRAÇAS A DEUS DESCOBRI A ÚNICA FÓRMULA PARA CONDUZIR: MUITO AMOR, PACIÊNCIA, FÉ, CARINHO, DEDICAÇÃO. NADA ACONTECE POR ACASO, QUE POSSAMOS AJUDÁ-LOS ATRAVESSAR ESTE OBSTÁCULOS. PROCURAR SABER O QUE FIZERAM EM VIDAS ANTERIORES EM NADA VAI AJUDAR. ESTÃO EM PERÍODO DE RESGATE, NÃO NOS CABE O JULGAMENTO. É DIFÍCIL, EU SEI. MAS SÓ NOS CABE HOJE, AMANHÃ E SEMPRE AMÁ-LOS.DEIXO UMA OBSERVAÇÃO: EU NÃO POSSUO FILHO AUTISTA, MAS NEM POR ISSO SOU INDEFERENTE A DOR ALHEIA. NOS UNAMOS PARA O BEM EM COMUM. ESTAMOS DE PASSAGEM, E NINGUÉM SABE O DIA QUE IRÁ PARTIR. UM ABRAÇO FORTE EM CADA MÃE E PAI QUE POSSUEM ANJOS AZUÍS.


Faça o seu comentário

Para validação, copie a palavra AUTISMO, exatamente como está escrita, no campo a seguir:









Esta página foi construída em 19/09/99, última atualização 20/03/2009.
Créditos: Eduardo Henrique Corrêa da Silva